A perícia contábil é uma boa para o seu escritório?

 

A perícia contábil é uma boa para o seu escritório?

O mercado concorrido, por vezes, leva o contador a buscar alternativas para encontrar o seu espaço e não sair perdendo. Entre elas está a prestação de serviços de assessoria, consultoria, auditoria e também perícia contábil. Sobre essa última opção, será que você tem o que precisa para se lançar na atividade?

Cadastre-se agora

O que é perícia contábil?

Antes de responder se você está preparado para se tornar um perito contador e se reúne todos os requisitos para aderir a essa área, vamos entender melhor o seu conceito.

A perícia contábil é uma atividade judicial ou extrajudicial voltada à reunião de elementos que atuem como prova, subsidiando a decisão no esclarecimento de controvérsias ou solução de litígios.

Baseada em critérios técnicos e científicos, ela é materializada na forma de laudo ou parecer, sendo utilizada como instrumento a atestar a verdade sobre fatos e atos. Suas conclusões podem embasar desde opiniões contábeis a sentenças e determinações judiciais.

Segundo o Conselho Federal de Contabilidade (CFC), a atividade pode ser assim dividida:

  • Perícia contábil judicial: exercida sobre a tutela da Justiça.
  • Perícia contábil extrajudicial: exercida no âmbito arbitral, estatal ou voluntária.

Conforme determinam as normas brasileiras de contabilidade, a perícia contábil, tanto judicial quanto extrajudicial, é de competência exclusiva de contador registrado no Conselho Regional de Contabilidade.

Mas no que a perícia se diferencia da auditoria contábil? Neste texto publicado no Portal de Contabilidade, o contador Júlio César Zanluca esclarece que, enquanto o perito atua sobre um caso litigioso entre duas partes, o auditor é contratado para analisar e emitir parecer sobre controles internos ou demonstrações financeiras da própria empresa que requisita seu trabalho.

Como ser perito contábil

Agora que já destacamos o que é perícia contábil e suas particularidades, vamos falar sobre o que é necessário para se tornar um perito contador. Os principais requisitos envolvem a habilitação para a função, o conhecimento sobre ela e possuir bons contatos e relações profissionais para que seu trabalho seja solicitado.

Habilitação

Sobre o primeiro passo, nós já falamos: é preciso estar registrado junto ao Conselho Regional de Contabilidade, o que já acontece para que você exerça a sua profissão após concluir a graduação em Ciências Contábeis.

Conforme a legislação, a atividade é de competência exclusiva do contador, tanto para a perícia judicial quanto extrajudicial ou arbitral.

No livro Perícia Contábil - Normas Brasileiras - Interpretadas e Comentadas à Luz dos Códigos Civil, Processo Civil e Penal, Wilson Alberto Zappa Hoog esclarece que na perícia judicial apenas o contador pessoa física pode exercer a função auxiliar ao juiz.

Já na esfera extrajudicial, casos de cisão, fusão e incorporação, o autor indica que um escritório de contabilidade pode atuar como pessoa jurídica, embora o laudo deva ser elaborado e assinado pelo contador perito.

Conhecimento

O candidato a perito contábil não precisa necessariamente realizar cursos de especialização no assunto, tampouco ser pós-graduado na área. Isso não significa, porém, que esse não seja um diferencial importante — lembrando sempre que conhecimento não ocupa espaço.

Como veremos no próximo tópico, tornar-se perito não compreende um processo seletivo, mas parte do desafio de convencer os interessados de que é capaz de realizar a tarefa. Apenas dizer que sabe o que é perícia contábil não lhe abrirá portas. É preciso ir além.

Como estratégia, pode ser interessante estudar uma determinada área da perícia. Quanto mais específico for o seu conhecimento, menor será o número de oportunidades, mas maior será a chance de se mostrar apto e o melhor para realizar o trabalho. É preciso se garantir no assunto, demonstrando domínio total sobre ele.

Além do estudo, outra forma interessante de adquirir conhecimento e experiência é atuando em parceria a outros contadores que já transitam pela perícia contábil, ainda que voluntariamente. Você pode se lançar como assistente técnico, por exemplo. Mesmo que nada receba pela tarefa, agregará bastante ao seu currículo, visando uma futura contratação.

Bons contatos e relações

Chegamos agora ao ponto-chave da sua candidatura a perito contábil. Você não encontrará editais de concursos para o posto ou anúncios em classificados abrindo vagas para peritos. Então, como localizar as oportunidades? É preciso ser conhecido e reconhecido por aqueles que precisam do serviço pericial.

Assim como ocorre em outras áreas da contabilidade para atrair clientes, você precisa ter bons contatos e construir boas relações profissionais para não apenas encontrar serviços em aberto como também para ser indicado e aceito para a sua realização.

O primeiro passo para isso é se habilitar junto ao Fórum da comarca na qual atua, verificando como se cadastrar ou solicitar a inclusão de seu nome como perito contábil. Veja quais exigências existem para integrar a relação de profissionais habilitados.

Mas apenas essa etapa não garantirá que um juiz o nomeie espontaneamente para um serviço. É aí que entra a importância das boas relações e contatos.

Em torno do magistrado, atuam outros servidores que exercem algum tipo de influência. São eles, por exemplo, que apresentam informações sobre os peritos, indicam a qualidade de seus laudos e outras características da sua forma de trabalhar.

Aproximar-se desse público e mostrar-se competente tende a gerar elogios que chegarão ao juiz, o que ajuda bastante para deixar o serviço de perícia contábil ao seu alcance.

Então, a perícia contábil vale a pena?

A perícia contábil pode ser uma boa para você, contador. E também para o seu escritório. Mas essa é uma decisão bastante particular, para a qual deve pesar os prós e contras, colocando tudo na balança.

Entre os pontos positivos, podemos citar a abertura de uma nova possibilidade profissional. Como perito, você pode conseguir novos serviços, talvez ampliar seus ganhos e enriquecer o seu currículo. Quem sabe descubra na atividade a sua nova vocação?

Por outro lado, conforme a causa em questão, pode ocorrer de a remuneração não ser exatamente compatível com as exigências do trabalho. Como ela é calculada sobre o valor da causa, um serviço pericial mais complexo não é necessariamente melhor remunerado.

Se o pagamento dos honorários forem devidos por beneficiário de gratuidade judicial, o valor pode ser custeado por recursos do orçamento público, da União ou do estado e, até mesmo, do Conselho Nacional de Justiça. Nessas condições, além da morosidade natural a esse processo, o valor é fixado conforme a tabela do respectivo tribunal.

Para ter uma ideia do que é pago pelo trabalho pericial, recomendamos a leitura deste artigo de Júlio César Zanluca, também publicado no Portal de Contabilidade.

Considerações finais

Neste artigo, apresentamos a perícia contábil como opção de trabalho aos contadores e escritórios de contabilidade. Acreditamos que agora você tenha as informações necessárias para avaliar se a adesão a essa nova área pode ou não representar uma vantagem competitiva e lucrativa para o seu negócio.

Seja qual for a sua decisão, lembre-se que o conhecimento e a atualização profissional são características fundamentais para qualquer contador. Estude e busque o aprimoramento constante.

Contabilidade digital: sabe quais são os primeiros passos?  Assista gratuitamente um vídeo com dicas práticas sobre como ser um escritório  contábil digital. Assistir Agora

E para você, a perícia contábil pode ser uma boa oportunidade? Comente!

Quer acesso a materiais gratuitos exclusivos para Contadores?

Junte-se a mais de 100 mil profissionais e empresários contábeis e receba gratuitamente novidades e dicas sobre tecnologia, marketing e vendas para Contabilidade.